quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Amarga

           
            Nunca quis a solidão como amiga, sempre que pude tratei de me afastar dela, não responder seus recados, nem comparecer seus convites, no entanto, com o correr dos anos ela se fez cada vez mais presente em mim. Talvez não mais como um carrapato e um cão e, sim como um cão e seu dono. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário