sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Fazendo o caminho


O rapaz que nunca chutou uma bola - mas que sempre admirou a arte do futebol e que apresenta certa simpatia pelo o Botafogo - entrara a primeira vez na vida em campo para acompanhar de perto todos os lances da partida e transmiti-los aos seus ouvintes, os quais atentos acompanhavam o desabrochar do tímido Ismael a cada participação no rádio. Percebendo que o moço tinha sim talento, o seu espaço foi crescendo descontroladamente ao debulhar dos tempos. Com uma voz inconfundível e certo empenho, logo foi chamado de professor entre os iniciantes e que era hobby foi tomando cada vez mais espaço em seu coração, entretanto, cuidadosamente dividido com o oficio de eletricista e a família, a quem também sempre fora dedicado.  Em meio a tudo isso, o filho de Maria e Joaquim e ao mesmo tempo de Borrego e Adélia, cultivara o sonho, ainda não conquistado de cursar Jornalismo.  Pai de única viagem - sempre desejou um menino – entretanto, quis o destino que no lugar deste, aparece uma menina, criada com todo o zelo e amor, que herdou do pai a alcunha de Paz, e o amor exacerbado pelo o jornalismo, coisa que só Deus explica.  

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Amarga

           
            Nunca quis a solidão como amiga, sempre que pude tratei de me afastar dela, não responder seus recados, nem comparecer seus convites, no entanto, com o correr dos anos ela se fez cada vez mais presente em mim. Talvez não mais como um carrapato e um cão e, sim como um cão e seu dono.