quarta-feira, 30 de março de 2011

Fraca


Todo mundo tem seus dias ruins, mas talvez o meu grande problema seja ser tão frágil e murmurar tudo isso em voz alta.


quinta-feira, 24 de março de 2011

terça-feira, 22 de março de 2011

Inconfundível


Dentre os mais fracos de vontade, descobri que sou a mais forte de todos. O medo camuflado em falsa sensatez não me comove nem um pouco.

quarta-feira, 16 de março de 2011

17 anos, nunca mais voltem!


Enfim, os 18 anos e suas verdades incontestáveis, mas logo digo: não esperem de mim revoluções comuns, aparentes. Elas não fazem nem um pouco meu tipo. Acredito que dessa noite em diante serei, unicamente, eu a responsável por tudo que me diz respeito, mas isso não significa nem um pouco, comprar automaticamente passagens a caminhos impensados. Para a alegria de poucos, serei a mesma, flamejante menina. Firmes nas minhas antigas convicções, não imatura, como alguns possam levantar, mas natural, como sempre fui. Suave, mesmo assim intensa, um pouco de cada, mas cada pouco com sua medida calculada, formando o que deram o nome de Ana Luiza e, por pura ironia do destino, alcunha Paz, mesmo com constantes explosões internas.

Detonações essas que, consumidas pelas insônias de minha vida, viraram o que zelo com enorme carinho, minhas palavras. Não acredito – nem quero - que delas exale perfeição, talvez sentimento, porque não? Mas acima de tudo que sejam um pouco de mim, um pedaço que seja, uma continuação. Inspiração que assola os pensamentos, só de pensar um dia em perder, mas isso caso amargamente ocorra, que elas representem minha juventude, e que sirvam de assolo a quem lhes recorrer. Voltando à atualidade, portarei com louvor a mesma doçura de sempre, porém com leves pinceladas de juízo, responsabilidade [solicitada, é claro, somente sempre que preciso for].

Sensação, que não minto, me assusta. Medo, condição que, em vezes anteriores, sempre venci com destreza, modéstia parte, todas as barreiras as quais foram me impostas. Em certas ocasiões, regadas a lagrimas, em outras alimentadas por sorrisos, mas sempre em pé, sempre adiante. Apesar de minha pobre existência inquietar tanto vidas alheias. Contudo, em tamanha ocasião, não quero deter-me às ações abomináveis da humanidade, meu lado egoísta me força a pensar na importância desse 16 de março, e isso eu não posso perder por nada.


terça-feira, 15 de março de 2011

Afável


Não vou dizer o que querem que diga, que o céu sem você é mais cinza, ou sábados sem a sua companhia são chatos, afinal disso todo mundo sabe, todo mundo sempre diz. Quero te dizer algo novo, como o quanto meus olhos gostam do seu sorriso.



segunda-feira, 14 de março de 2011

domingo, 13 de março de 2011

sábado, 12 de março de 2011

sexta-feira, 11 de março de 2011

quinta-feira, 10 de março de 2011

terça-feira, 8 de março de 2011

segunda-feira, 7 de março de 2011